sábado, 18 de junho de 2011

O Que a Igreja Espera de Seu Líder


Introdução:
Antes de refletir nos textos que queremos compartilhar e deles extrair o perfil de um líder que a igreja espera, quero definir liderança e líder.
Liderança é o processo de conduzir um grupo de pessoas a um objetivo comum. Líder é aquele que recebe tal responsabilidade, assumindo o compromisso de levar o grupo àquele objetivo.
Portanto, liderar exige conhecimentos, técnicas e aprendizado contínuo no trato de pessoas. Não confunda administrar coisas com liderar pessoas!
Liderar não é administrar templos, finanças, organizações. Você pode ser um ótimo administrador das finanças da sua igreja, por exemplo, e não ter nenhuma liderança nesta área.
Creio que a maioria das igrejas desejaria ter Paulo como líder. Paulo é o exemplo, o padrão de liderança desejado pelas igrejas.
Seria possível hoje ter vários “Paulos” nas lideranças das igrejas? Claro que não. Mas digo a você que é possível ter homens como Paulo liderando as igrejas.
Quero mostrar que isso é possível, que as igrejas podem sim ter homens com este padrão nas suas lideranças, basta fazer aquilo que Ele exortou que se fizesse em pelo menos quatro oportunidades:
1. Seja como ele, um simples pregador do evangelho – 1Co 4.16
O contexto do capitulo em que está este versículo trata da maneira como cada servo, desde os apóstolos até os demais despenseiros, devem ver o seu ministério.
Paulo demonstra a sua humildade e não tinha nenhum receio de ser investigado ou interrogado, pois estava pronto a sofrer por Cristo. Ele diz que se quiserem pode indicar um dia para fazer suas indagações acerca dele e de seu ministério. Ele está de consciência limpa, afinal é Jesus o seu juiz, Jesus é quem no final revelará a motivação do coração de Paulo.
Paulo aplica ao seu coração a verdade que é apenas um simples pregador do evangelho, que deveria ser respeitado dentro dos limites das Escrituras, que em nenhum momento o orgulho e a arrogância fez parte de seu ministério.
O orgulho na verdade é uma armadilha, uma ilusão que enche o nosso coração de auto-estima, e acabamos pensando que tudo que recebemos é conseqüência de nossos esforços, quando na verdade é providencia graciosa de Deus.
Paulo deixa claro que todas as afirmações que ele está fazendo, desde o capitulo 3, não tem a finalidade de constranger, mas sim de exortá-los, de corrigi-los, para que aqueles irmãos possam ser assim como eles, imitadores de Cristo.
Qual a sua visão de ministério? Como você imagina? Como vemos o nosso ministério? Será que dentro da perspectiva de Paulo?
Como ministros de Deus não podemos ter receio de que o nosso ministério sendo investigado, sendo interrogado. A nossa consciência deve está limpa, tendo convicção de que o que nos motiva a servir a Cristo fielmente, não é para ser percebido, notado pelos homens, para que no julgamento deles tenhamos uma nota máximo. O que na verdade nos motiva é a obediência ao mestre, é o desejo de no final receber dEle a recompensa.
Devemos exercer nosso ministério com humildade, sabendo claramente que o louvor que recebemos não é por nossos méritos, mas pura graça de Deus.
Escute a recomendação do apóstolo Paulo: sejais meus imitadores.
A segunda exortação de Paulo que nos fará, assim como ele é, um líder desejado pela igreja é:
2. Seja como eu, viva a liberdade cristã de maneira equilibrada – 1Co 11.1
Apesar de ser o primeiro versículo do capitulo 11, claramente este versículo pertence ao contexto do capitulo 10.
Havia um grande conflito na igreja de Corinto sobre aquilo que se podia ou não podia fazer. Como cristãos o que era permitido e o que não era?
Paulo resolve não apresentar uma lista de regras e disposições sobre o que é e o que não é permitido. Ele apresenta então princípios como bem observou John MacArthur em seu comentário: primeiro o principio da edificação acima da gratificação (v. 23); segundo o principio de considerar os outros acima de nós mesmos (v.24); terceiro o principio da liberdade acima do legalismo (vs. 25-27) e quarto principio o da condescendência acima da condenação (vs. 28-30).
Paulo com isso conclui mostrando que a nossa liberdade cristã deve ser equilibrada, tendo sempre como propósito final a glória de Deus, sem ofender a quem quer que seja. Buscando sempre agradar a todos, para que todos possam ser edificados e desfrutem a salvação de Cristo.
Paulo desafia a todos a viverem a vida cristã de maneira tão equilibrada que até nas atividades mais comuns como comer e beber, Deus possa ser glorificado.
De que maneira vivemos a nossa vida cristã? Temos a preocupação de que as nossas ações levem a gloria de Deus? A maneira que vivemos a nossa vida cristã escandaliza ou edifica os outros?
Você é um líder equilibrado? Você tem como propósito desenvolver um ministério equilibrado como foi o de Paulo? Ou você é aquele líder em que tudo depende da lua? Hoje pode tudo, amanhã nada. Nestas áreas pode se fazer tudo, nesta outra tudo é proibido.
Escute a recomendação do apóstolo Paulo: sede meus imitadores.
A terceira exortação de Paulo que nos fará, assim como ele é, um líder desejado pela igreja é:
3. Seja como eu, firme no Senhor – Fp 3.17
Paulo se coloca como o modelo a ser seguido por aqueles irmãos. Paulo não estava se colocando num pedestal, mas estava dando um parâmetro a ser seguido, pois ele estava na lutar por alcançar a perfeição.
Paulo estava dizendo: não desista, olhe para mim e me siga, vamos alcançar o alvo. Muitos já desistiram desta luta. Muitos já caíram e se transformaram em inimigos da cruz, apesar de terem começado bem, o seu final é a destruição.
Isso não acontece conosco, vamos permaneça firme como eu estou firme, pois a nossa pátria é celestial, os nossos interesses e direitos estão seguros lá. Nossos pensamentos e orações sobem para lá, devemos então permanecer firmes, logo chegará o tempo em que seremos transformados, nossos corpos serão glorificados, e teremos um corpo igual ao do Senhor.
Um líder deve permanecer firme. Deve ficar os pés no chão e suportar todas as coisas, em especial a traição daqueles que um dia pensou que eram amigos de Cristo, quando na verdade eram inimigos.
Como anda o nosso ministério? Temos nós fincados os pés e nos mantidos firmes diante das provações? Diante da facilidade de fazer aquilo que o nosso egoísmo deseja? Diante da facilidade de satisfazer o nosso ventre?
Escute a recomendação do apóstolo Paulo: irmãos, sede imitadores meus.
A quarta exortação de Paulo que nos fará, assim como ele é, um líder desejado pela igreja é:
4. Seja como eu, viva em santidade – Fp 4.9
Paulo entende que a vida em santidade começa pela renovação da mente. Uma mente santa tem como resultado um viver santo. Por isso ele recomenda o que devemos pensar.
O apóstolo exorta os filipenses a meditarem no que é verdadeiro, terem uma conduta digna de honra, sendo sinceros e dignos em suas palavras e ações. Devem meditar com gratidão nos atos justos de Deus e tomar todas as suas decisões na perspectiva de que está dentro da justa vontade de Deus.
O apóstolo exorta os filipenses a ocuparem a sua mente no que é puro, limpo, sem contaminação. Meditem no que é amável, agradável e julguem se isso não irá fazer de vocês cristãos melhores.
O Apóstolo Paulo expressa convicção e autoridade nestas palavras, pois certamente vivia aquilo que pregava. Homem íntegro, que não buscava interesses próprios, mas visava o Reino de Deus e não tinha a sua vida por preciosa, mas lutava para cumprir o chamado de Deus com excelência.
O que tem ocupado a nossa mente? Em que temos meditado? Infelizmente cristãos e entre eles lideres maquinam o mal. Ficam imaginando como vou fazer para colocar tal pessoa em situação difícil. Tem a sua mente contaminada.
Será que somos capazes de dizer como disse Paulo: sede meus imitadores, e aquilo que aprendestes, recebestes, ouvistes e vistes em mim, isso praticai. Somos capazes de fazer essa declaração? Deveríamos.
Ao declarar sede meus imitadores como eu sou de Cristo, Paulo não está sendo orgulho ou arrogante, na verdade ele está sendo um discípulo, em nossa linguajem está sendo um verdadeiro crente, pois todo crente deve ter a capacidade de dizer o mesmo.
CONCLUSÃO
Como declarei no inicio, não é possível hoje ter vários “Paulos” nas lideranças das igrejas.
Mas digo a você que é possível ter homens como Paulo liderando as igrejas. Sendo um líder exemplar.
Um líder que olha para o seu ministério é ver que é apenas um simples pregador, que humildemente serve a Cristo, e tudo que tem é graça divina.
Um líder que busca viver a sua vida cristã de maneira equilibrada, tendo as Escrituras como parâmetro para tudo que faz.
Um líder que está firme no Senhor e em Sua palavra.
Um líder que busca a santidade mental, pois o resultado desta busca é um viver santo.
Você é este líder?
Este é o líder que a igreja espera.

Pr. Denilson Roque

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário